Diretor do World Camp América do Sul se encontrou com diversos líderes, professores e coordenadores de instituições de ensino para explicar sobre a Educação Emocional.

No dia 31 de agosto foi realizada a 1ª Conferência de Líderes da Educação no Auditório Prestes Maia, na Câmara Municipal de São Paulo, com a presença de cerca de 80 líderes da educação de diversas instituições.

1
(Palestra para líderes da educação)

Com o apoio e a atenção de governos e líderes da educação em todo o mundo, através de diversos eventos internacionais e programas diferenciados de Educação de Caráter voltados aos jovens, a IYF estabeleceu a conferência para reitores a fim de auxiliarmos na cooperação internacional. O Fórum Internacional de Reitores iniciou-se no ano de 2013 e em 2017, na Coreia do sul participaram cerca 68 líderes de 26 países.

A conferência iniciou-se com as palavras da vereadora Soninha e a entrega da placa de homenagem ao presidente da IYF América Latina, pela excelência na atuação da Educação Emocional, em nome da presidência da câmara dos vereadores.

2
(Entrega da placa de homenagem pela vereadora Soninha em nome da Câmara dos Vereadores)

O deputado federal e conselheiro da IYF Brasil, Arnaldo Faria de Sá, parabenizou a IYF pelo trabalho que vem realizando com a Educação Emocional, e a coordenadora do projeto social PRIUNI, da Universidade Nove de Julho, Viviane Delgado, contou um pouco de como está sendo realizado o curso de Educação Emocional para os alunos da Uninove. Há 2 anos a IYF faz o curso nos campi da instituição.

3
(deputado Arnaldo Faria de Sá)

4
(coordenadora do PRIUNI, Viviane Delgado)

Em sua palestra o Dr. H. C. Min Chul Lim explicou sobre a importância do intercâmbio e a comunicação. Ele disse para os professores que, mais do que apenas passar o conhecimento, eles têm que ensinar com o coração, assim os alunos não aceitam como uma obrigação.

“Vocês dedicam a sua vida para as pesquisas, para o desenvolvimento do Brasil e por estes jovens. Se o conhecimento for passado para os jovens é bom, mas tem que passar o coração. Se passa apenas o conhecimento, eles aceitam como obrigação.”

5
(Palestrante Min Chul Lim)

6 “O maior problema da juventude é que ela não tem foco. Eles não sabem o que realmente querem. O nosso jovem é ainda muito individualista, e isso é uma característica da adolescência e da juventude. Acho que a educação emocional entra nesse ponto, porque ela trabalha com a questão de levar o ser humano a construir a sua própria maturidade, a se autoconhecer, a respeitar os seus limites. Eu vou saber quem eu sou, o que eu realmente quero e quais sãos os meus limites.” Disse Fabiana, professora de inglês do Estado de São Paulo.

Após a palestra o Dr Lim se encontrou com o professor Psicologia Clínica da USP, Andrés Eduardo Aguirre Antúnez, o qual apontou algumas dificuldades encontradas pelos alunos. Lim explicou que a música e a dança tem o poder de abrir o coração do jovem que vive isolado, assim conectando com o coração desses jovens eles podem sair do isolamento. “A energia é invisível, mas quando está conectada manifesta a sua força.” – disse Min Chul Lim.

7
(reunião com o professor Eduardo Aguirre Antúnez)